sexta-feira, 26 de junho de 2015

Pelo direito do amor ausente da dor

Eu nasci para sentir amor.
Acredite nasci pra acreditar.
Na sinceridade, declaro que amo.
Tudo aquilo que se permite
olhar no espelho e não ter medo
de ser errado de ser moral...
De ser hipócrita!
Eu sou o primeiro gritar minha incoerência.
eu sou o primeiro a amar a minha displicência.

Eu sou primeiro a pagar com dor a liberdade
de não ter piedade de quem zomba da verdade.
A sua prepotência é exatamente igual a minha indiferença
Sua falta de paciência é a clemencia que imploras.
Mas uma novidade para você , eu me humilho com prazer.
Pois assim eu me sinto suave,tranquilo enquanto te obrigo...
a engolir a realidade deplorável  que você ostenta como  estupro  da dignidade.

Agora sem medo ou remorso eu imploro que seus pedidos de justiça sejam atendidos
Que a cegueira  da tua certeza sejam exatamente igual ao teu desprezo pela coerência
Em nome da verdade que impede,em nome do erro que me sucede, em nome do direito de retribuir.
Que você pague com agonia a morte das tuas crença, rancor que a tua falta de amor covarde insistiu.

Razmael a clareza da incoerencia.

27/06/2015

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...