domingo, 21 de novembro de 2010


sublime teu espaço ao lento
o semblante relaixado se defaz
ao sabor do vento

poesia noturna escondida atras dos morros...
perambulando na tua face... soturno é o teu enlace
brilhando feito constelação... de impulsos na neblina
viaja dentro da cor e descobre o traçado da tua sorte

neblina...neblina..neblina...
obscura neblina suavizando a sua rotina
por de traz do cinza existe uma cor sem anelina
uma frase sem segunda chance...um olhar respirante

eterna sensação obscura e exitante...
um mergulho no escuro de traz da cabeça
um rodopio na esquina da certeza...

benção do caos e da clareza me encontrem...
na poesia atráz do sonho... perto do lago.
escondido pelos cercados farpantes...
onde encontro o meu ser sempre variante.

3 comentários:

Caroline Sampaio disse...

Obrigada pelo o comentario no meu blog!
tbm gostei do sei.tem textos muito bons.
bjo

André Poerschke Vieira disse...

você escreve bem, só toma cuidado com alguns erros de português, faz uma reileitura depois que posta que vai ser um sucesso.

http://umdiaentenderei.blogspot.com/

Anton Alegrin o Ant-Pierrot...Anatole, o joker dos olhos faíscantes. disse...

eu tenho um jeito estranho de escrever..subverto o portugue...nem sempre fica bom, mas tento ir melhorando o meu estilo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...